top of page

Estudo sobre os sem-abrigo nos Açores

Atualizado: 1 de fev. de 2023




Estudo contabiliza 493 pessoas em situação de sem-abrigo nos Açores


Foi divulgado o relatório final do estudo À Margem – A condição de sem abrigo nos Açores. Os resultados do levantamento feito neste âmbito indicaram que existiam, em Dezembro de 2020, 493 pessoas numa condição de sem abrigo naquela região. Destas, 78,7%, estavam numa condição de sem casa, ou seja, tinham onde dormir, mas dependentes das respostas institucionais para a garantia mínima de condições de habitação; e as restantes 21,3% estavam em situação de sem teto - estariam habitualmente a dormir na rua, noutros espaços públicos, em locais precários ou em dispositivos de emergência.




Os debates gerados a partir da realização de focus groups estão a permitir um aprofundamento da problemática em três campos críticos: habitação; saúde mental; e emprego e proteção social. Abordar estes temas é um desafio que foi colocado no âmbito do seminário final, realizado em Junho do ano passado, e ao qual se pretende dar seguimento – nos planos científico, institucional e organizativo. Espera-se que este estudo marque uma nova etapa na ação sobre este problema societal, aos vários níveis – regional, de ilha, municipal e local. Não se trata apenas de estudar quem está à margem da sociedade, trata-se de estudar a sociedade, a partir suas margens.


Este estudo permitiu responder a uma lacuna reconhecida pela Estratégia Nacional para a Integração das Pessoas em Situação de Sem-Abrigo 2017-2023 (ENIPSSA 2017-2023), permitindo realizar, pela primeira vez, um levantamento sociodemográfico das pessoas que estão em condição de sem abrigo nos Açores. Ainda assim, fica o alerta, amplamente reconhecido por atores envolvidos neste projeto: dois anos depois, os dados subestimam largamente a dimensão do fenómeno, em especial na ilha de São Miguel.


A pesquisa foi promovida pela Novo Dia – Associação para a inclusão social, uma entidade que trabalha com esta população há 20 anos e foi realizada por Paulo Fontes, Helder Fernandes e Lídia Fernandes – investigadora do DINÂMIA’CET-Iscte, contado com a colaboração científica das investigadoras Ana Costa e Joana Lages do mesmo centro de investigação.


O projeto foi financiada pela Direção Regional da Ciência e Tecnologia dos Açores, no âmbito da Medida 1.1.c – “Implementação de Projetos de I&D” na área das Ciências Sociais e Humanas (M1.1.C/C.S./025/2019/01).


Além do DINÂMIA’CET-Iscte, o projeto contou com a parceria da Cáritas de ilha de S. Miguel, Alternativa – Associação Contra as Dependências, Crescer – Associação de Intervenção Comunitária – Lisboa, e ainda com a colaboração científica do Centro de Estudos Humanísticos da Universidade dos Açores e do Centro Interdisciplinar em Ciências Sociais da Universidade dos Açores (CICS.UAc).



bottom of page