top of page

Artigo no Público sobre o lançamento do livro "Os Grandes Trabalhos e o Desejo da Cidade de Exceção"

Com pressa de construir, cidades portuguesas arriscam-se a desordem urbanística

Novo livro alerta para a troca do pensamento estruturado por um “pragmatismo burocrático”. Necessidade de aproveitar verbas do PRR na habitação e nos transportes joga a favor de empreiteiros.




A grande urgência em se construir mais habitação e mais infra-estruturas de transportes públicos, ditada não apenas pela sua necessidade imperiosa, mas também pelo empenho em aproveitar os prazos do seu financiamento através do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), pode estar a assumir um papel determinante numa tendência muito recente, mas que terá começado já a fazer o seu caminho: a substituição do pensamento e do planeamento urbanísticos estruturados nas cidades portuguesas, em detrimento de um “pragmatismo burocrático” que beneficia o interesses dos empreiteiros.



Ler artigo completo aqui

コメント


bottom of page