Ciclo



Programa aos Sábados

EXHIBITION "Colonizing Africa - Reports on Colonial Public Works in Angola and Mozambique (1875-1975)"

AHU - Arquivo Histórico Ultramarino, Lisboa


No âmbito da exposição Colonizing Africa- Relatórios das Obras Públicas em Angola e Moçambique (1875-1975) propomos um conjunto de sete sessões com visitas guiadas e palestras com convidados seguidas de debate com início já no próximo dia 2 de Março.

Colonizing Africa foi montada sobre as imagens que integravam os relatórios produzidos pelos serviços de Obras Públicas Coloniais nos últimos 100 anos de colonização portuguesa em Angola e Moçambique, e que se encontram hoje guardados no Arquivo Histórico Ultramarino. Mostram-se 114 imagens retiradas de um universo de 1300 fotografias de 64 relatórios.

Constituindo essencialmente uma forma de comunicação entre técnicos, os relatórios dos serviços de Obras Públicas permitem refazer parte da dinâmica da vida colonial e ajudam a reconstituir os processos de construção da paisagem africana que a colonização tardia produziu. Uma paisagem resultante de opções de exploração económica, negociação social e demonstração de poder, tomadas dentro das lógicas de governação colonial.


Próximas datas Sessões


13 Abril | Johan Lagae (Ghent University)

Johan Lagae

Full Professor na Universidade de Ghent, onde lecciona História da Arquitectura do século XX, com foco em contextos não-europeus. PhD em arquitectura colonial no antigo Congo Belga. Tem várias publicações sobre arquitectura colonial e pós-colonial na África Central, história urbana em África e fotografia colonial. Co-curadoria em exposições que versam sobre o Congo, como Le mémoire du Congo. Le temps colonial (2005), Congo. Paysages urbains. Regards croisés (2007) e Congo belge en images (2010). Entre 2010 e 2014, co-coordenou um grupo de investigação europeu sobre “European Architecture beyond Europe” (COST-action IS0904) e é membro editorial do ABE-journal.

Full Professor at Ghent University, where he teaches 20th Century Architectural History with a focus on the non-European context. He holds a PhD on colonial architecture in the former Belgian Congo and has written extensively on colonial/postcolonial architecture in Central Africa, African urban history and colonial photography. He (co-)curated several Congo-related exhibitions, such as Le mémoire du Congo. Le temps colonial (2005), Congo. Paysages urbains. Regards croisés (2007) and Congo belge en images (2010). From 2010 till 2014 he co-chaired a European research group devoted to the theme “European Architecture beyond Europe” (COST-action IS0904) and is editorial member of ABE-journal.

Sessões Anteriores

02 Março | Abertura

As vidas dos arquivos das obras públicas coloniais por Ana Canas D.M., Manuela Portugal, Sónia Henrique (AHU)

Ana Canas D.M.

Diretora do Arquivo Histórico Ultramarino, DGLAB. Investigadora Auxiliar do Centro de História, Universidade de Lisboa. Doutorada (PhD) em Library and Information Studies, University College London. Tem estudos em História, Arquivística e Património, áreas em que foi responsável e participa em projetos de investigação.

Manuela Portugal

Sónia Henrique

Bolseira de investigação FCT, no AHU, no projeto PTDC/ATPAQI/0742/2014 Coast to Coast. Mestre em Ciências da Informação e da Documentação, na variante de Arquivística na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade NOVA de Lisboa. Doutoranda em Arquivística Histórica na mesma faculdade.

09 Março | Ana Vaz Milheiro (FAUL) e Fernando Pires (CES-UC)

Ana Vaz Milheiro

Professora Assistente na Faculdade de Arquitectura da Universidade de Lisboa (FAUL) e investigadora no DINÂMIA’CET (ISCTE-IUL). Doutorada pela Universidade de São Paulo (2004) e Post-doc pela Universidade do Porto (2012). Curadora da exposição “Colonizing Africa: Relatórios das Obras Públicas em Angola e Moçambique (1875-1975)” (AHU, 2019). Organizou o Congresso Internacional “Colonial and Postcolonial landscapes: Architecture, Cities and Infrastructures” na Fundação Calouste Gulbenkian (2019). É especialista em arquitectura tropical e colonial e tem desenvolvido e coordenado investigação em história de arquitectura luso-africana. Entre as suas várias publicações destacam-se “Nos Trópicos sem Le Corbusier, arquitectura luso-africana no Estado Novo” (2012), “Cabo Verde: Cidades, Território e Arquitecturas” (2014) e “African Colonial Architectures at the end of the “Portuguese Empire” (2017). Fez várias missões de investigação a Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e Macau.

Fernando Pires

Licenciado em arquitetura (1983) pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Sarajevo (com equivalência pela Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa, 1988) e mestre em desenho urbano (1999) pelo Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL). Após diversas experiências profissionais como arquiteto colaborador (1983-2010) e professor de Desenho Técnico na Casa Pia de Lisboa (1988-2010), ingressou na primeira edição

do programa de doutoramento Patrimónios de Influência Portuguesa (CES-UC/III). Entre os seus interesses de investigação, destaque para a organização espacial da cidade e os processos de crescimento e transformação; história e teoria do desenho urbano; prática de reabilitação urbana e gestão do território no processo urbanístico; história das cidades, em especial das cidades africanas.

06 Abril | José Pedro Monteiro (CES-UC) e Peter Scriver (University of Adelaide)

José Pedro Monteiro

É junior researcher no Centro de Estudo Sociais da Universidade de Coimbra (CES-UC). Doutorado pelo Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa no âmbito do Programa Inter-Universitário de Doutoramento em História (PIUDHist), com a tese de "A internacionalização da questão laboral ‘indígena’ no império colonial português (1944-1962)". Licenciado em Relações Internacionais pela Universidade do Minho e mestre em Ciência Política e Relações Internacionais pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas. Menção honrosa do prémio da Fundação Mário Soares em 2013 pela tese de mestrado. Os seus principais interesses de investigação são as várias interconexões entre imperialismo e internacionalismo no século XX, em particular aquelas que lidam com os problemas cruzados do trabalho colonial e da outorga e exercício de direitos civis, políticos, sociais, culturais e económicos. Em 2015 co-organizou, com Miguel Bandeira Jerónimo, o volume colectivo "Os Passados do Presente: internacionalismo, imperialismo e a construção do mundo contemporâneo" (Almedina).

Peter Scriver

Peter Scriver é membro fundador do Centre for Asian and Middle-Eastern Architecture (CAMEA), na Universidade de Adelaide, onde tem lecionado História da Arquitectura Moderna, Teoria e Design desde 1996. Scriver é especialista em história da arquitectura da Índia moderna e em modernidade colonial. Tem desenvolvido investigação sobre o Departamento de Obras Públicas da Índia Britânica, sobre as redes profissionais de troca de conhecimento em arquitectura e as relações entre a Ásia e a Austrália. Publicou vários livros e artigos, entre os quais se destacam After the Masters: Contemporary Indian Architecture (Mapin, 1990), Colonial Modernities: Building, Dwelling and Architecture in British India and Ceylon (Routledge, 2007), e India: Modern Architectures in History (Reaktion, 2015).

Peter Scriver is a founding member of the Centre for Asian and Middle-Eastern Architecture (CAMEA) at the University of Adelaide, where he has taught Modern Architectural History, Theory and Design and directed postgraduate research since 1996. Scriver is a critical authority on the architectural history of modern India. His theoretical interests focus on cultural and cognitive relationships between architecture, building, planning and urban design, and the institutional frameworks and professional networks in which these disciplines operate. In addition to his extensive work on postcolonial India, Scriver is an expert on colonial modernity. His pioneering historical research on the British Indian Department of Public Works examined its instrumental role in the propagation and institutionalization of modern architectural and engineering knowledge in colonial India and beyond. Subsequent work on professional networks and exchanges of architectural knowledge and expertise has continued to contribute to critical

scholarship on colonial and modern architectural history, with particular reference to contact between Asia and Australia, and the broader cultural, institutional and political-economic frameworks of architectural production. Peter Scriver has supervised to completion over twenty PhD and MPhil theses to date and has published a number of co-authored books and edited volumes, including After the Masters: Contemporary Indian Architecture (Mapin, 1990), Colonial Modernities: Building, Dwelling and Architecture in British India and Ceylon (Routledge, 2007), and India: Modern Architectures in History (Reaktion, 2015), as well as over sixty peer-reviewed articles, chapters and papers.

DINÂMIA'CET-Iscte

Ed. Iscte

Sala 2w4d Av.ª das Forças Armadas

1649-026 Lisboa

T.: (+351) 21 046 4031 | (+351) 210 464 197

E.: dinamia@iscte-iul.pt